Música Sinfónica

Bach, Pai e Filho: Magnificat X 2

Orquestra Metropolitana de Lisboa

CCB

Bach Magnificat x2

O texto do cântico Magnificat provém do Evangelho Segundo São Lucas e é um dos mais importantes da liturgia cristã. É entoado por Virgem Maria, que clama louvor a Deus diante de sua prima Isabel, depois de o Arcanjo Gabriel revelar a gravidez de João Baptista. Na tradição luterana do século XVIII, era costume a congregação cantar em língua alemã. Porém, em ocasiões solenes, o coro e os solistas cantavam, por vezes, em latim. Assim aconteceu quando Johann Sebastian Bach compôs esta obra, por ocasião do primeiro Natal que passou ao serviço das igrejas de Leipzig. Originalmente escrita na tonalidade de Mi Bemol Maior, a partitura incluía algumas partes que foram eliminadas na década seguinte pelo próprio compositor, de maneira a adaptá-la a todas as alturas do ano. Transpô-la, ainda, para a tonalidade de Ré Maior, de maneira a acomodar o registo brilhante das trompetes. Em 1723, Carl Philipp Emanuel, seu segundo filho e aquele que veio a ter maior sucesso enquanto compositor, contava apenas nove anos de idade. Decerto, não terá ficado indiferente diante do esplendor daquela primeira celebração. Vinte e seis anos mais tarde, já em Berlim e ao serviço da corte de Frederico O Grande, compôs o seu próprio Magnificat. Eventualmente, o pai terá tido a oportunidade de o escutar na Igreja de São Tomé, em Leipzig, poucos meses antes de enfrentar a morte.

Orquestra Metropolitana de Lisboa
Coros Voces Caelestes
Soprano I Eduarda Melo
Soprano II Alexandra Bernardo
Meio-soprano Marina De Liso
Tenor Marco Alves dos Santos
Barítono André Henriques
Maestro do coro Sérgio Fontão
Maestro Enrico Onofri

Johann Sebastian Bach (1685-1750) Magnificat, BWV 243 (1732-35)
Carl Philipp Emanuel Bach (1714-1788) Magnificat, Wq. 215, H. 772 (1749)

Coprodução| CCB | Metropolitana


22 dezembro 2019 | 17:00
M/6
Enviar a um Amigo