Temporada Sinfónica e Ópera

À Sesta de um Fauno

Orquestra Metropolitana de Lisboa

CCB

©Joel Santos | www.joelsantos.net

O poema de Mallarmé que inspirou Debussy em 1892 conta a história de um fauno que, enquanto toca flauta de Pã no meio da floresta, se deixa inebriar pela presença das ninfas. Tenta alcançá-las, mas sem sucesso. Cai então num sono profundo, que lhe permite sonhar com o desejo. Vinte anos mais tarde o bailarino polaco Vaslav Nijinsky também se deixou encantar pelo efeito hipnótico da partitura de Debussy, e colocou em cena uma coreografia que escandalizou o público de Paris. Já o russo Mussorgski baseou-se em quadros e aguarelas para percorrer com a sua música uma exposição imaginária. Apesar de ser uma homenagem póstuma ao pintor Victor Hartmann, a fantasia de Os Quadros de uma Exposição, por entre gnomos e bruxas, castelos e jardins, brota na orquestração que Ravel realizou em 1922. Estas duas obras são interpretadas por Eivind Gullberg Jensen, à frente da OML. Junta-se-lhes desta vez o flautista Nuno Inácio, na interpretação do Concerto para flauta do dinamarquês Carl Nielsen, datado de 1926.


Orquestra Metropolitana de Lisboa
Eivind Gullberg Jensen direção musical
Nuno Inácio flauta

Claude Debussy Prelúdio de à Sesta de um Fauno
Carl Nielsen Concerto para flauta e orquestra, FS 119
Modest Mussorgski Os Quadros de uma Exposição (orq. M. Ravel)

Coprodução | CCB | Metropolitana

18 fevereiro 2018 | 17:00

M/6
Enviar a um Amigo