Camerata Nov’Arte

A presente “reinvenção dos esboços” deixados por Mahler para a Sinfonia nº10 em fá# maior foi realizada entre 2011 e 2012, e impulsionada pelas comemorações do jubileu do compositor: 150 anos do nascimento (1860 → 2010) e 100 anos da morte (1911 → 2011). Pensada de raiz para um grande ensemble de 21 instrumentistas, praticamente todos solistas, toma também a perspetiva de recriar o universo musical mahleriano através de um formato instrumental mais condensado, mas tentando ainda assim salvaguardar uma certa grandiosidade sonora ao diversificar os timbres instrumentais utilizados, em linha com prá́ticas mais atuais. Sonoridades tão inusuais à̀ mú́sica do Romantismo como o acordeão, o saxofone, o clarinete-contrabaixo ou percussões mais variadas são aqui utilizadas para criar ambiências sonoras mais modernas e dar maior riqueza ao discurso musical. Mahler foi, ele pró́prio, um grande inovador na arte da orquestração ao seu tempo e é precisamente essa sua curiosidade, essa sua procura pela originalidade tímbrica, que se pretende transportar para os nossos dias, tomando assim uma abordagem à recuperação da obra que pode considerar-se pós-moderna.

                                                                                Luís Carvalho (Maio, 2014)

Luís Carvalho direção

Programa

Gustav Mahler Sinfonia nº10, em fá# maior (1910, inacabada)
Luís Carvalho uma reinvenção dos esboços para grande ensemble (2011-12/rev. 2013-14)
   I Adagio-Andante
   II  Scherzo I
   III  Purgatorio
   IV  Scherzo II
   V  Finale: Adagio-Allegro-Adagio

 

Produção| CCB


 

28 outubro 2017 | 21:00

M/6
75 min
Enviar a um Amigo