Belém Cinema

OS 10 MANDAMENTOS
The Ten Commandments

OS 10 MANDAMENTOS The Ten Commandments

OS 10 MANDAMENTOS The Ten Commandments

OS 10 MANDAMENTOS The Ten Commandments

OS 10 MANDAMENTOS The Ten Commandments
220’ | 1956 | EUA

Realização Cecil B. DeMille
Elenco Charlton Heston, Yul Brynner, Anne Baxter, Vincent Price
Estreia em Portugal: 1 de Outubro de 1958

 

Uma impressionante história de como o espírito da liberdade guia o homem,
sob a inspiração divina do seu Criador. E por isso ainda tão actual.”
New York Times, 1956


Não é só um grande e poderoso filme.
 É também uma nova experiência humana.”
Hollywood Reporter, 1956

 

Apesar de já ter rodado em 1923 uma primeira versão de Os 10 Mandamentos (muda e a preto e branco), Cecil B. DeMille, um dos fundadores da indústria cinematográfica de Hollywood e um dos produtores mais bem sucedidos da história do cinema, lança-se na produção e realização de uma nova versão deste épico, filmada em technicolor e sonorizada, e que DeMille tencionava que fosse “o melhor filme da sua carreira”.
À data da estreia, em 1956, Os 10 Mandamentos marcava a história do cinema como sendo “o mais longo, caro e monumental filme alguma vez feito”, segundo a revista Life.
Baseado em passagens bíblicas, Os 10 Mandamentos relata a história da vida de Moisés (Charlton Heston), desde a infância em que cresce como príncipe na corte egípcia após ser salvo em bebé das margens do Nilo pela filha do Faraó, até que, quando a sua proveniência é revelada, é expulso do Egipto para então receber a missão divina de liderar o êxodo do povo hebreu, escravizado pelos egípcios, rumo à liberdade e à Terra Prometida, numa travesia do deserto que dura mais de 40 anos.
Com um orçamento de 13,5 milhões de dólares (mais de 115 milhões de dólares nos dias de hoje), esta nova versão de Os 10 Mandamentos foi filmada entre o Egipto (no Monte Sinai), os desertos do Arizona e da Califórnia, e os estúdios da Paramount, em Hollywood. Para a rodagem foram construídos imponentes cenários, os maiores alguma vez feitos para cinema, e recorreram-se a técnicas e efeitos especiais extremamente complexos e inovadores, que valeram ao filme o seu único Óscar apesar das 7 nomeações, e que revolucionaram os efeitos visuais na indústria cinematográfica. Entre estes efeitos destaca-se a sobreposição de cenas rodadas em múltiplas localizações, entre cenários naturais e artificiais, que se combinam num único plano da acção; os complexos efeitos do Mar Vermelho a dividir-se, o que exigiu a construção em estúdio de dois tanques de água com 200 mil metros cúbicos; e a formação das nuvens torbulentas sobre o Mar Vermelho, desde então um dos efeitos especiais mais populares em Hollywood.
A grandiosidade desta produção foi transversal a todas as fases de trabalho. Na preparação da rodagem foi criado um storyboard de 1200 cartões, a partir de um argumento com mais de 300 páginas e de 70 personagens diferentes, que levou três anos a ser escrito. A rodagem durou cerca de 2 anos e, além dos actores, nela participaram 14 mil figurantes (diz-se que um deles seria Fidel Castro, como soldado egípcio, algo que o próprio nunca desmentiu) e 15 mil animais, segundo a revista Variety. 
Os 10 Mandamentos, que durante largos anos foi o segundo maior sucesso de bilheteira da história do Hollywood, só atrás de E tudo o vento levou (1939), é actualmente o sétimo filme com maior êxito de bilheteira de todos tempos e foi, até ao lançamento da Paixão de Cristo (2004), o filme inspirado na Bíblia mais visto de sempre. Roger Ebert elegeu a cena da divisão das águas do Mar Vermelho como um dos 100 momentos mais marcantes da história do cinema, e o American Film Institute considera-o um dos 100 filmes mais inspiradores e o décimo melhor filme épico alguma vez feito. O seu estatuto de clássico do cinema confirmou-se em 1999, quando passou a intergrar a lista filmes dignos de arquivo e conservação pelo U. S. National Film Registry.
Sessenta anos após a sua estreia, e numa versão restaurada digitalmente em 4K, este icónico e aclamado filme baseado na Bíblia, e que desde 1973 é transmitido todos os anos na época da Páscoa pelo canal americano ABC, será exibido no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém.

Parceria | CCB | Midas Filmes



       

14 abril 2017 | 16:00
M/6
3h40 c/intervalo
Enviar a um Amigo