Este evento já decorreu.

Orquestra Sinfónica Portuguesa
Coro do Teatro Nacional de São Carlos

CCB

Orquestra Sinfónica Portuguesa

Bruckner deixou incompleta a sua monumental Sinfonia n.º 9 em Ré menor, estreada postumamente em Viena em 1903. Parece ter sido o próprio compositor, temendo não conseguir terminar a obra (dedicada «ao amado Deus») e hostilizando a ideia de um desencantado Adagio como último andamento, a sugerir o uso do seu próprio Te deum como finale. Esta sugestão é usualmente seguida, apesar de continuadamente surgirem novas propostas de finale baseadas em esboços do compositor.
Todos os andamentos exigem da orquestra e do maestro Pedro Neves – especialista na obra de Bruckner – um empenhamento emotivo e técnico invulgar e no Te deum o louvor canta-se no limite de todas as vozes, solistas e corais.

Soprano Susana Gaspar
Meio-soprano Maria Luísa de Freitas
Tenor Marco Alves dos Santos
Baixo Derek Welton

Direção do Coro Giovanni Andreoli
Direção musical Pedro Neves

Programa

Anton Bruckner (1824-1896)
Sinfonia n.º 9 em Ré menor (1894-1896)
Te Deum, WAB 45 (1881-1884)

Coprodução | CCB/São Carlos


9 fevereiro 2020 | 17:00
M/6
Enviar a um Amigo