Integral da Música de Câmara de Joly Braga Santos (1924-1988)

Quintas às 7

CCB

Joly Braga Santos ©Arquivo Herdeiras de Joly Braga Santos

Joly Braga Santos  (Lisboa, 1924 - Lisboa, 1988) é uma das principais figuras da música portuguesa do século XX. Sinfonista fecundo e inspirado, chefe de orquestra, director de gravação da RDP, crítico musical e pedagogo, a sua acção multiforme foi um factor impulsionador da actividade musical da sua época e a sua obra de compositor estará para sempre considerada entre as grandes realizações artísticas de matriz autoral portuguesa.
Reunir a sua música de câmara instrumental num ciclo orgânico de concertos em Portugal, que também pudesse gerar uma edição discográfica é um projecto que Musicamera Produções alimenta laboriosamente desde há pelo menos dois anos.
A fixação de uma ficha artística credível que contasse com a aprovação de todos e cada um dos intérpretes, a elaboração das sequências de repertório de cada concerto, a localização, revisão e eventual correcção de algumas partituras, a sempre difícil coincidência das agendas e o contacto permanente com interlocutores empresariais do âmbito discográfico internacional foram os vectores em que Musicamera Produções se empenhou a fundo.
Estreado em Novembro de 2017 no CCB este projecto continua em 2018, ano do 30º aniversário do desaparecimento físico do compositor, a percorrer o país. As criações de um dos maiores compositores portugueses de sempre serão seriamente integradas numa área conceptual coerente e inequívoca.
A grande música de Joly Braga Santos merece o enorme esforço encetado. Ela é a prova viva da importância da Música de Câmara como factor gerador de conteúdos que definem a memória colectiva de um país.
Não duvidamos que o público responderá ao apelo. Os ouvintes são o principal destinatário deste gesto de defesa e de fruição de um acervo fulcral no devir da cultura musical portuguesa.

ALEJANDRO ERLICH OLIVA
O autor escreve segundo a antiga ortografia

 

Olga Prats piano
Leonor Braga Santos violeta
António Saiote clarinete
Nuno Ivo Cruz flauta
Ricardo Lopes oboé
Carolino Carreira fagote
Paulo Guerreiro trompa
Jorge Almeida trompete
António Quítalo trompete
Pedro Monteiro trompete
Jarrett Buttler trombone
Vítor Faria trombone
Ilídio Massacote tuba


PROGRAMA

Joly Braga Santos (1924-1988)
Ária a Tre, op. 62 (1984) para Clarinete, Violeta e Piano
Dedicada a Diogo Paes, Leonor Braga Santos e António Rosa
Interpretação de António Saiote, Leonor Braga Santos e Olga Prats

Improviso, op. 70 (1988) para Clarinete e Piano
Dedicada a António Saiote e Olga Prats
Interpretação de António Saiote e Olga Prats

Peça para Fagote (1946)
Dedicado a Ângelo Pestana
Interpretação de Carolino Carreira

Peça para Flauta e Piano
Dedicada a Luís Boulton
Interpretação de Nuno Ivo Cruz e Olga Prats

Adagio e Scherzino (1956) para Quinteto de Sopros
Dedicada ao Quinteto Nacional de Sopros
Interpretação de Nuno Ivo Cruz, Ricardo Lopes, António Saiote, Carolino Carreira e Paulo Guerreiro

Suíte para Instrumentos de Metal (1985) para 3 Trompetes, Trompa, 2 Trombones e Tuba
Dedicado ao Grupo de Metais de Lisboa
Interpretação de Jorge Almeida, António Quítalo, Pedro Monteiro, Paulo Guerreiro, Jarrett Buttler, Vitor Faria e Ilídio Massacotte


Lorem ipsum






7 junho 2018 | 19:00

Sala Luís de Freitas Branco
M/6
1h s/intervalo
Enviar a um Amigo