Este evento já decorreu.

Dia Mundial da Poesia 2019

Centenário do Nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen

CCB
Entrada Livre até ao limite da capacidade das salas.


Pelo décimo segundo ano consecutivo, o Centro Cultural de Belém comemora o Dia Mundial da Poesia, no dia 23 de março, assinalando este ano o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen. Um ambiente de festa com muita cor e poesia, para todas as idades, invade os mais variados espaços do Centro Cultural de Belém.

Desdobrável AQUI

15:00–19:00Feira do Livro de Poesia 
Entrada do Centro de Congressos e Reuniões–Piso 1

Na entrada e receção do CCB poderá encontrar o seu poeta preferido ou o último livro de poesia editado.
Em parceria com a Bertrand.                                                                                                 

15:00–19:00Espaço Imprensa Nacional Casa da Moeda 
Centro de Congressos e Reuniões–Piso 2

No posto de venda da Imprensa Nacional – Casa da Moeda poderá encontrar o livro que falta na sua biblioteca.

15:00–19:00Espaço Gastronómico | Receção–Piso 1

À semelhança do ano anterior, teremos um espaço de gastronomia típica açoriana, com mostra e degustação de alguns produtos, como o queijo, o bolo lêvedo das Furnas, as compotas e os licores, pretendendo-se que seja um veículo de divulgação dos sabores das várias ilhas.
15:00–18:00Diga lá um poema | Centro de Congressos e Reuniões –Piso 1

Espaço aberto para leituras de poesia em voz alta, organizado como um estúdio de gravação, onde o público é convidado a dizer os seus poemas favoritos ou de sua autoria. As filmagens são posteriormente exibidas ao longo do dia num ecrã junto à Sala de Leitura.

16:00–17:00   

Curta-Metragem | Sala Almada Negreiros – Piso 2
Sophia de Mello Breyner Andresen (1969)
Realização de João César Monteiro
Duração 16 minutos

Esta curta-metragem sobre Sophia de Mello Breyner Andresen traz luz sobre a alma de um realizador e de uma poeta: João César Monteiro e Sophia de Mello Breyner Andresen. Passa-se maioritariamente em Lagos onde terá sido feita a filmagem e nela se pode ainda ver a influência do povo e da pesca num país e tempo em que a presença do mar e do seu fulgor se faziam sentir de outra maneira.

Documentário | Sala Almada Negreiros – Piso 2
Duração 58 minutos

O nome das coisas (2007)
Autoria de Carmen Inácio
Realização de Pedro Clérigo

Grécia, Mar, Natureza, eram as coisas concretas que mereciam a atenção de Sophia de Mello Breyner Andresen. 
Com testemunhos de quem com ela conviveu e também de quem, com a necessária distância, consegue analisar a dimensão da sua obra, este documentário dá a conhecer aquela que é considerada por muitos como uma das mais importantes poetas portuguesas do século XX. Como ela própria afirmou? «Eu posso dizer que escrevo para transformar o mundo. Eu penso que a poesia deve transformar o mundo!»

15:00–18:00Maratona de Leitura 
                                       
Celebrar Sophia de Mello Breyner Andresen | Sala Fernando Pessoa – Piso 2
Apresentação André Gago

Leitura dos poemas dos vencedores do concurso Faça lá um Poema, organizado em colaboração com o Plano Nacional de Leitura. Poesia de Sophia de Mello Breyner Andresen dita por diferentes individualidades:

Graça Fonseca (Ministra da Cultura)
Ana Rocha
António de Castro Caeiro
Bruno Caseirão e Caetana
Carlos Fiolhais
Catarina Santiago Costa
Cristiana Vasconcelos Rodrigues
Elsa Conde
Gilda Nunes Barata
Graça Castanheira
Guilherme d’ Oliveira Martins
Helena Vasconcelos
Jenny Silvestre
Joana Lobo Antunes
João Retrê
João Soares
José Anjos
Leonor Xavier
Luís Osório
Maria Alzira Seixo e Alice
Maria Andresen
Maria Calado
Maria do Céu Guerra
Maria Emília Castanheira
Miguel Santos Vieira
Miriam Assor
Nuno Côrte-Real

15:00–17:30Sophia | Sala Sophia de Mello Breyner Andresen–Piso 2
Dois painéis de debate em torno da obra de Sophia de Mello Breyner Andresen.

Moderação José Manuel dos Santos e Maria Andresen
Painel 1 - Margarida Magalhães Ramalho – Maria Andresen – José Pedro Serra
Painel 2 - José Manuel dos Santos – Manuel Alegre – Graça Morais

Em colaboração com o Centro Nacional de Cultura e Maria Andresen.

16:00–17:00 Palestra 

Sophia, entre dois mares | Sala Luís de Freitas Branco – Piso 1

António Valdemar

António Valdemar, sócio efetivo da Classe de Letras da Academia das Ciências, foi convidado para ocupar-se da efeméride e, ao circunscrever-se ao tema «Sophia, entre dois mares», vai centrar, entre outros aspetos, a celebração da própria poesia que representou um dos motivos nucleares da criação de Sophia e, entretanto, de duas outras componentes que percorrem a sua obra múltipla e una – o cruzamento das raízes da herança Mediterrânea – fonte da cultura clássica, de Homero, de Platão, de Sófocles, de Orpheu e de Eurídice), e a presença dominadora do Atlântico, outra raiz da criação literária de Sophia e que se acentua nos seus notáveis livros de poesia, nomeadamente, Mar Novo, Geografia, Dia do Mar, Coral, Mar Novo, Geografia, Navegações, Ilhas, O Buzio de Cós, e outros poemas.
Mas haverá também oportunidade para evidenciar o contributo de Sophia de Mello Breyner Andresen na literatura que escreveu para crianças e para jovens, em livros que se tornaram referências obrigatórias, tais como A Menina do Mar, A Fada Oriana, A Floresta, O Tesouro, A Árvore e que permanecem vivos na memória de sucessivas gerações, desde a segunda metade do século XX, até aos nossos dias.
Recorde-se, a propósito, que Sophia se definiu «A terra o sol o vento o mar, são a minha biografia e o meu rosto». E fez ainda questão de acrescentar: «Quando eu morrer voltarei para buscar/ os instantes que não vivi junto ao mar».

17:00–18:00Concerto

No impulso da barca | Sala Luís de Freitas Branco – Piso 1
Sandra Martins violoncelo
Carlos Barretto contrabaixo

Protagonistas habituais em recitais de poesia, Sandra Martins e Carlos Barretto apresentam-nos uma performance de peças compostas em tempo real, uma viagem sonora inspirada na obra de Sophia de Mello Breyner Andresen.

15:00–19:00Casa da América Latina | Sala Maria Helena Vieira da Silva – Piso 2

A Casa da América Latina renova a sua habitual parceria com o Dia Mundial da Poesia do CCB, desta vez com a colaboração do Instituto Cervantes.

Lançamento do livro A vida em Chamas, de Luis Alberto de Cuenca (Espanha), com presença do autor.

Vários convidados da Casa da América Latina e do Instituto Cervantes dizem poemas da América Latina da sua predileção, nomeadamente Ana Bacalhau, Camané, Cristina Norton, Debora Merali, Fernando Ribeiro, Ignacio Molini, Jaqueline Mercado, Karla Suarez, Lauren Mendinueta (acompanhada ao saxofone), Luís Represas, Margarida Vale de Gato, Maria do Rosário Pedreira, Maria João Costa , Nuno Júdice, Ozias Filho e Pedro Mexia.


Ângela Fernandes (Universidade de Lisboa) e Mirta dos Santos Fernández (Universidade do Porto) falam sobre a obra completa de Delmira Agustini (Uruguai).



 

 

 

 


23 março 2019 | 15:00 às 19:00
Centro de Congressos e Reuniões | Piso 1
Enviar a um Amigo