A Arte da Fuga

La Paix du Parnasse

António Carrilho ©Rita Delille

Albert Romaguera

Guillermo Salcedo

Carlos Gallifa ©Ignacio Evangelista

Juan Mesana

Catherine Strynckx

Decorridos mais de dois séculos e meio desde que J. S. Bach compôs A Arte da Fuga (Die Kunst der Fuge), esta permanece uma obra de grande complexidade, amplamente executada por todo o mundo e envolta em mistério. Sendo a última obra do grande Mestre, a edição final aconteceu após a sua morte, vindo a ser alvo de estudo por parte de músicos e musicólogos desde o século XIX, numa incessante busca da derradeira verdade sobre a obra: objeto de estudo para o ensino do teclado ou para o ensino do contraponto? Ainda há questões relacionadas com a primeira edição, tal como surge no manuscrito, que é o facto de as fugas estarem notadas em partitura sem qualquer indicação de instrumentação.
Desde a performance para instrumento de tecla solo até grandes orquestras, A Arte da Fuga é a perfeição no domínio do contraponto ao longo de 15 fugas e 4 cânones, envolto em pureza sonora e tensão.

La Paix du Parnasse
António Carrilho flautas de bisel & direção
Albert Romaguera oboé barroco
Juan Francisco Aránega  sacabuxa tenor
Guillermo Salcedo fagote barroco
Carlos Gallifa violino barroco
Juan Mesana viola barroca
Javier Aguirre viola da gamba
Catherine Strynckx violoncelo barroco

Johann Sebastian Bach A Arte da Fuga para vários Instrumentos


Produção | CCB

15 outubro 2017 | 17:00

M/6
Enviar a um Amigo