Concerto Inaugural da Temporada 2019/2020 da Metropolitana

Orquestra Metropolitana de Lisboa

CCB

©Vanja Čerimagić

O início da Sinfonia n.º 4 de Johannes Brahms é surpreendente. Tudo começa de rompante, sem cerimónias, com uma melodia que progride sem vacilar nas páginas que lhe seguem. É também assim que arranca a Temporada 2019/2020 da Metropolitana, na expectativa de mais um ano repleto de atrativos para todos aqueles que não dispensam a música ao vivo nas suas rotinas. Os dois primeiros acordes do programa pertencem, todavia, a uma obra anterior do compositor alemão. A Abertura Trágica, igualmente marcante e inspiradora, foi composta no aprazível verão de 1880 e, apesar do título, não reporta a um evento trágico, em particular. Apresenta, todavia, uma disposição dramática sobre tempos contrastantes, mudanças bruscas e misteriosas. Oportunamente, abre aqui caminho à estreia absoluta de uma criação evocativa da Queda do Muro de Berlim – já passaram 30 anos! A assinatura de Zero Formula pertence ao italiano Luca Francesconi, um dos mais prestigiados compositores da atualidade, que ao longo do seu percurso criativo sempre buscou equilíbrios improváveis no ecletismo estilístico e na coexistência de elementos potencialmente conflituantes. Juntam-se desta vez uma orquestra e uma guitarra elétrica.


Johannes Brahms Abertura Trágica, op. 81
Luca Francesconi* Zero Formula, para guitarra elétrica e orquestra (estreia absoluta **)
Johannes Brahms Sinfonia N.º 4, op. 98


Ruben Mattia Santorsa guitarra elétrica
Pedro Amaral maestro

(*) Artista Associado à Temporada da Metropolitana 2019/2020
(**) Encomendada da Orquestra Metropolitana de Lisboa e do Instituto Italiano di Cultura para assinalar a efeméride dos 30 anos passados sobre a Queda do Muro de Berlim

 

Produção | Metropolitana




29 setembro 2019 | 17:00
M/6
Enviar a um Amigo