Garagem Sul - Conferências da Garagem

Samia Henni
Arquitetura da Contrarrevolução

CCB

Habitações semi-urbanas By Archives d'histoire

A construção da primeira fase do Rocher Noir, concluída em 1961 © Conseil départemental de la Haute-Garonne, Archives départementales, Coleção Louis de Hoÿm de Marien: 156 J.

Campo de reagrupamento em Boulet, região de Oran, Argélia, fevereiro de 1958 © Claude Cuny / SCA / ECPAD.

Poster de promoção da exploração francesa do Saara argelino © Service historique de la défense, Château de Vincennes: 1 H 1117/2.

Durante a revolução argelina (1954-1962), as autoridades civis e militares francesas reorganizaram profundamente o vasto território urbano e rural da Argélia, transformando drasticamente os seus ambientes construídos, implementando com rapidez novas infraestruturas e construindo estrategicamente novas povoações, de modo a manter a Argélia sob domínio francês. O regime colonial francês planeou e levou a cabo não apenas programas de destruição tática, mas também a construção de novas povoações, de modo a facilitar o rigoroso controlo da população argelina e a proteção das comunidades europeias na Argélia. Esta conferência examina a política de três medidas espaciais contrarrevolucionárias interligadas: a reinstalação forçada em massa dos agricultores argelinos; os programas de habitação colectiva concebidos para a população argelina como parte do Plano de Constantine do General Charles de Gaulle; e a nova cidade administrativa fortificada, planeada para a proteção das autoridades francesas dos ataques terroristas de um grupo paramilitar francês durante os últimos meses da revolução argelina. A conferência descreve o modus operandi dessas edificações, as suas origens, intenções, agentes, protocolos e mecanismos de conceção.


Samia Henni é professora assistente no Departamento de Arquitetura da Universidade de Cornell. É arquiteta e historiadora de arquitetura, trabalhando sobre a interseção entre arquitetura, planeamento, práticas coloniais e operações militares, do início do século XIX até à atualidade. É autora do livro Architecture of Counterrevolution: The French Army in Northern Algeria (gta Verlag, 2017) e foi curadora da exposição Discreet Violence: Architecture and the French War in Algeria apresentada em Zurique, Roterdão, Berlim, Joanesburgo e Paris. É doutorada em História e Teoria da Arquitetura pela ETH de Zurique. Lecionou na Escola de Arquitetura da Universidade de Princeton, na ETH de Zurique, e na Universidade de Arte e Design de Genebra.


21 de maio de 2019 | 19:00
Sala Luís de Freitas Branco
Enviar a um Amigo