Este evento já decorreu.

Espetáculo de teatro e dança

Margem

Victor Hugo Pontes

CCB

Capitães da Areia ©Manuel Roberto

Fábrica das Artes | Para todas as infâncias

«Do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem.»

Bertolt Brecht

 

«Margem tem como inspiração o romance de 1937 de Jorge Amado, Capitães da Areia, que retrata um grupo de crianças e adolescentes abandonados que vivem nas ruas de São Salvador da Baía, roubando para comer, e dormindo num trapiche – um armazém onde, como uma espécie de família, se protegem uns aos outros e sobrevivem a um dia de cada vez. Oitenta anos depois da publicação do livro, interessa-me sobretudo questionar quem são os novos capitães da areia, inspirando-me na realidade social destas crianças, e consciente de que nem sempre há finais felizes. Quem são estas pessoas que são colocadas à margem, e quando é que essa marginalização começa? Na casa de partida da vida, temos todos as mesmas hipóteses ou alguns partem para a luta já em défice? Há formas de quebrar isso? Quais? A sério? De certeza? Será realmente admirável o mundo novo que conseguimos construir com todos os nossos ideais de igualdade para todos? Numa ideia de teatro documental, e em colaboração com Joana Craveiro, este projeto será alicerçado num trabalho junto de jovens que foram privados do ensino, da alimentação, de carinho, de um pai, de uma mãe, jovens que cometeram crimes, jovens que partiram em défice ou que se viram em défice por razões que muitas vezes lhes são alheias. Jovens e crianças que, não obstante, continuam a lutar pela sua liberdade, e, nalguns casos, para inverter o tabuleiro do jogo – o tal onde, lado a lado, na casa de partida, já éramos diferentes uns dos outros, como uma fatalidade.»

                                                                                                     Victor Hugo Pontes

 

Direção Victor Hugo Pontes
Texto Joana Craveiro
Cenografia F. Ribeiro
Música Marco Castro e Igor Domingues (Throes + The Shine)
Direção técnica e desenho de luz Wilma Moutinho
Interpretação Alexandre Tavares, André Cabral, David S. Costa, Hugo Fidalgo, João Nunes Monteiro, José Santos, Magnum Soares, Marco Olival, Marco Tavares, Nara Gonçalves, Rui Pedro Silva e Vicente Campos
Estagiários Beatriz Baptista (Ginásio Escola de Dança) e João Filipe Abreu (FCSH)
Consultoria artística Madalena Alfaia
Direção de Produção Joana Ventura

Parcerias Centro de Educação e Desenvolvimento de Pina Manique - Casa Pia de Lisboa, Instituto Profissional do Terço e APISAL
Coprodução Nome Próprio, CCB/Fábrica das Artes e Teatro Aveirense

A Nome Próprio é uma estrutura residente no Teatro Campo Alegre, no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto



Uma encomenda CCB/Fábrica das Artes


 

 

Victor Hugo Pontes

Nasceu em Guimarães, em 1978. É licenciado em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Em 2001, frequentou a Norwich School of Art & Design, Inglaterra. Concluiu os cursos profissionais de Teatro do Balleteatro Escola Profissional e do Teatro Universitário do Porto, bem como o curso de Pesquisa e Criação Coreográfica do Forum Dança. Em 2004, fez o curso de Encenação de Teatro na Fundação Calouste Gulbenkian, dirigido pela companhia inglesa Third Angel, e, em 2006, o curso do Projet Thierry Salmon – La Nouvelle École des Maîtres, dirigido por Pippo Delbono, na Bélgica e em Itália. Como criador, a sua carreira começa a despontar a partir de 2003 com o trabalho Puzzle. Desde então, vem consolidando a sua marca coreográfica, tendo apresentado o seu trabalho por todo o país, assim como em Espanha, França, Itália, Alemanha, Rússia, Áustria, Brasil, entre outros. Das suas mais recentes criações como encenador/coreógrafo destaca: Fuga Sem Fim (2011), A Ballet Story (2012), ZOO (2013), Ocidente, de Rémi de Vos (2013), Fall (2014), COPPIA (2014) em cocriação com Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves, Orlando (2015) em cocriação com Sara Carinhas, Se alguma vez precisares da minha vida, vem e toma-a (2016), CARNAVAL (2016), a convite da Companhia Nacional de Bailado, UNÍSSONOComposição para cinco bailarinos (2016) e Nocturno (2017), em cocriação com Joana Gama. Em março de 2007, venceu o 1.º Prémio com o trabalho Ícones no 2nd International Choreography Competition Ludwigshafen 07 – No ballet, em Ludwigshafen, Alemanha. Com o espetáculo A Ballet Story, foi nomeado, em 2013, para os Prémios SPA na categoria de Dança – Melhor Coreografia. Integrou o programa DanceWeb 2017 do Festival Impulstanz em Viena, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, onde trabalhou com Jan Fabre, David Zambrano, Doris Uhlich, Benôit Lachambre, entre outros. É, desde 2009, o Diretor Artístico da Nome Próprio – Associação Cultural.

 

Joana Craveiro

Encenadora, atriz, dramaturga. Fundadora e diretora artística do Teatro do Vestido (2001-), onde dirigiu e escreveu mais de 30 criações. A relação entre os acontecimentos históricos e as suas representações no presente, bem como a recolha de memórias e histórias de vidas, e as cartografias poéticas e afetivas das cidades são algumas das questões a partir das quais tem trabalhado e investigado. Colaborou pela primeira vez com Victor Hugo Pontes em 2012, partilhando com este claras afinidades metodológicas e artísticas.

 

F. Ribeiro

Nasceu em Lisboa, em 1976. Em 2008 concluiu a Licenciatura em Design de Cena na Escola Superior de Teatro e Cinema. Concluiu o curso de Pintura da SNBA, o curso de Ilustração da FCG e o curso de técnica fotográfica do IPF. Com Victor Hugo Pontes concebeu cenários para: A Ballet Story, A Strange Land, Zoo, Ocidente, Fall, Cair, Orlando, Se Alguma Vez Precisares da Minha Vida, Vem e Toma-a, Carnaval e Uníssono. Em março de 2015, menção honrosa pela Associação Portuguesa de Críticos de Teatro.

 

Marco Castro e Igor Domingues

Marco Castro e Igor Domingues são dois músicos de origem portuense, cujo percurso musical se centra em projetos ligados ao rock, à música de dança e à fusão cultural. Congregando sonoridades oriundas de diferentes cantos do mundo, atingiram uma maior notoriedade com os Throes + The Shine, projeto cofundado por ambos.

 

Wilma Moutinho

Tem desenvolvido o seu trabalho como designer de iluminação, tendo colaborado com diversos criadores, na área do teatro, da ópera e da dança, tal como: António Capelo, Carlos Avilez, Clara Andermatt, Fernando Moreira, John Mowat, José Carretas, Júnior Sampaio, João Paulo Costa, John Gardyn, Quico Cadaval, Leonor Keil, Nuno Carinhas, Nuno M. Cardoso, Marco da Silva Ferreira e Roberto Merino, entre outros. Na música realizou projetos de luz para Be-Dom, Clã, Cesária Évora, Chicco César, Foge Foge Bandido, Marta Ren, Ornatos Violeta, Lufa Lufa, Tanya Tagaq, entre outros. Trabalha com Victor Hugo Pontes, desde 2003, assina o desenho de luz e assume a direção técnica de todas as criações deste artista.

 

INTÉRPRETES

Alexandre Tavares

Nasceu em Lisboa, em 2000, e começou a praticar danças urbanas em 2014. Atualmente encontra-se a frequentar o Curso Profissional de Intérprete de Dança Contemporânea no Balleteatro. Ao longo do seu percurso académico tem trabalhado com nomes como Rita Grade, Pedro Carvalho, Jonathan Uliel Saldanha, Elisabete Magalhães e Costanza Givone.

 

André Cabral

Nasceu no Barreiro, em 1990, e é licenciado em dança pela Escola Superior de Dança de Lisboa. Colabora desde 2012 no projeto musical Batida, de Pedro Coquenão. Como intérprete colaborou com André Mesquita, Clara Andermatt, Marco da Silva Ferreira, Rui Horta, Paulo Ribeiro e Victor Hugo Pontes.

 

David Costa

Nasceu em França, em 1999, e terminou o curso profissional de Interpretação na Academia Contemporânea do Espetáculo, no Porto, em 2017. Em 2017 foi encenado por Pedro Frias no espetáculo Noite, a partir de A Nebulosa, de Pasolini, no âmbito da Prova de Aptidão Profissional. Nesse mesmo ano criou RESPIRAR RESPIGAR (2017) apresentado no Teatro Municipal do Porto.Rivoli.Campo Alegre.

 

Hugo Fidalgo

Nasceu em São João da Madeira, em 2003, e iniciou o seu percurso artístico em 2013 ao ingressar no ensino articulado no Ginasiano Escola de Dança. Atualmente frequenta o Curso Especializado de Dança desta escola.

 

João Nunes Monteiro

Nasceu no Porto, em 1993, e concluiu o curso profissional de Interpretação pela Academia Contemporânea do Espetáculo em 2011. Frequentou ainda a Licenciatura em Teatro (ramo – Atores) da Escola Superior de Teatro e Cinema.

Em teatro, como intérprete, trabalhou com Victor Hugo Pontes, Nuno Carinhas, Clã e Maria Duarte e, em cinema, colaborou com os realizadores Francisco Manso, Ivo Ferreira, Jorge Paixão da Costa, Gonçalo Galvão Teles e Dennis Berry.

 

José Santos

Nasceu em Oliveira de Azeméis, em 1999, e iniciou o seu percurso na dança na Escola de Samba Renascer, em Pindelo. Formou-se no Curso Profissional de Intérprete de Dança Contemporânea no Conservatório de Música da Jobra. Participa, desde 2015, como intérprete nas produções da Academia ALL ABOUT DANCE.

 

Magnum Soares

Nasceu no Brasil, em 1996, e em 2010 teve o seu primeiro contacto com as Artes Plásticas, com o mestre Elias Layon. Iniciou a sua formação na dança na Escola de Bailados de Mariana. Atualmente frequenta o curso For Dance Theater, sob orientação da coreógrafa Olga Roriz. É cofundador, juntamente com Mariana Vasconcelos, Pedro de Filippis e Guto Martins, da Cia INSANACENA.

 

Marco Olival

Nasceu em Santo António, na ilha da Madeira, em 1999. Em 2011 começou a estudar dança na Escola de Dança do Funchal. Atualmente frequenta o Curso Especializado de Dança no Ginasiano Escola de Dança, onde trabalhou com o coreógrafo Victor Hugo Pontes.

 

Marco Tavares

Nasceu em Lisboa, em 2000, começou a praticar danças urbanas em 2014 e ginástica acrobática em 2015. Atualmente frequenta o Curso Profissional de Intérprete de Dança Contemporânea no Balleteatro.

 

Nara Gonçalves

Nasceu em Vila do Conde, em 2003, e frequentou a Escola de Dança do Centro Municipal de Juventude de Vila do Conde entre 2007 e 2016. Atualmente frequenta o Curso Especializado de Dança no Ginasiano Escola de Dança

 

Rui Pedro Silva

Nasceu no Porto, em 2003 e frequenta o Grupo de Teatro Os Plebeus Avintenses. Em 2017, teve uma participação especial na série Vidago Palace, produzida pela RTP e TV Galiza. Atualmente frequenta o 9.º ano da Escola Básica Anes de Cernache.

 

Vicente Campos

Nasceu no Porto, em 2003,  e estuda ballet clássico desde os três anos no Centro de Dança do Porto. Em 2016 ganhou a Junior’s Cup nos ISTD Awards, em Londres, distinção que considera o melhor bailarino júnior daquele ano. Nesse mesmo ano participou no espetáculo de Romeo Castellucci Sobre o conceito do rosto do filho de Deus, no Teatro Municipal do Porto (Rivoli).


27 janeiro, 2018 | 21:00

28 janeiro, 2018 | 16:00

30, 31 janeiro, 1 fevereiro, 2018 | 11:00

Pequeno Auditório
M/12
50 minutos
Enviar a um Amigo