Sexta-feira | 27 abril 2018


PAINEL ESQUERDO: O INFERNO E OS CASTIGOS

Aberto este Tríptico vemos três painéis num percurso que nos leva do Inferno à reconquista do Paraíso. Depois da expulsão do Paraíso, o homem vê-se permanentemente dividido entre o Bem e o Mal, mais do que nunca vulnerável às tentações terrenas e às sugestões do Diabo. Este assume muitas formas, no paraíso foi a cobra que aliciou Eva com o fruto proibido e que colocou o homem perante este dilema do bem e do mal; na Terra, continua a aliciar-nos com os nossos desejos mais íntimos, seja pela nossa permanente insatisfação, seja pelas tentações da carne, tirando partido das nossas fraquezas e virando de pernas para o ar desejos tão nobres como o do amor verdadeiro ou o do conhecimento. Aqui apresenta-se um diabo sedutor sob o nome de Mefistófeles, caçador implacável das almas mais fracas e, ao mesmo tempo, a faceta mais sedutora e galanteadora do diabo. Os que se deixam atingir pela sua astúcia sofrem os piores dos destinos sendo levados para o inferno. Gil Vicente mostra-nos como é feita essa seleção das almas. Dante explica-nos ao detalhe os castigos infligidos a cada tipo de pecador. C. Marlowe (1564-1593, dramaturgo e poeta inglês) e Goethe (1749-1832, escritor alemão) mostram-nos como se pode cair tão facilmente na armadilha da sedução e ser condenado à «danação».