Concertos no recinto

Palco Poente | Palco Nascente

28 e 29 abril 2018

Tangomanso

Tangomanso

Vitor Miranda | Fado Tradicional do Bairro, Fados do Pecado

Catarina Rosa | Fado Tradicional do Bairro, Fados do Pecado

Sandro Costa | Fado Tradicional do Bairro, Fados do Pecado

Ivan Cardoso | Fado Tradicional do Bairro, Fados do Pecado

Ricardo Anastacio ©JPSPHOTO

Coro Ricercare

Batoto Yetu Portugal

Jungalbandish

Nos Palcos Nascente e Poente, nos intervalos dos concertos principais, decorrem concertos informais de entrada livre.  (É necessário bilhete recinto)

No Centro de Congressos e Reuniões do CCB encontra o Palco Nascente no Piso 1 (Receção Principal do CCB) e o Palco Poente no Piso 2 (foyer do Grande Auditório).

28 abril 2018  | Palco Nascente


GALANDUM, GALUNDAINA | 16:15


Programa
Pandeiro
Canedo
Alicran + Fandango + Cabalheiralgo
Mirandum
Burgalesa
Senhor Galandum
Coquelhada Marralheira
Nabos

Galandum Galundaina faz parte da genealogia de uma região com um património musical e etnográfico único, que durante muito tempo ficou esquecido. Ao longo dos últimos 20 anos o grupo contribuiu para o estudo, preservação e divulgação da identidade cultural das Terras de Miranda, Nordeste Transmontano.
O seu trabalho de investigação e recolha, junto de pessoas mais velhas com conhecimentos rigorosos do legado musical da região, a par da formação académica na área da música, concretizou-se num sentido renovado no modo de entender as sonoridades que desde sempre conheceram. Com a sua música não procuram criar novos significados, mas antes descrever os lugares e a vida; encontrar as raízes que permitem que a cultura se desenvolva. 
Em palco os quatro elementos apresentam um repertório vocal e instrumental na herança do cancioneiro tradicional das Terras de Miranda, onde as harmonias vocais e o ritmo das percussões nos transportam para um universo atemporal. Das memórias da Sanfona, da Gaita-de-foles Mirandesa, da Flauta pastoril, do Rabel, do Saltério, do Cântaro, do Pandeiro mirandês, do Bombo e da Caixa de Guerra do avô Ventura, nasce uma música que acumula referências, lugares, intensidades, tempos. Para Galandum Galundaina a música não se inventa; reencontra-se.


TANGOMANSO & OTRAS YERBAS | 18:15

Juan Capriotti bandoneón, voz, dança / Graciana Romeo bailarina / Denys Stetsenko violino / Miguel Gelpi contrabaixo / Rui Meira guitarra / Duncan Fox piano / Jacqueline Fernández voz / Margarida Cruz fadista

Juan Capriotti Bendito Tango / Tangomanso
Ernesto Ponzio (1885-1934) Don Juan
Elías Randal (1920-2005) / Marvil (1902-1976) Asi Se Baila El Tango
Ángel Villoldo (1861-1919) El Choclo
Vicente Greco (1886-1924) El Flete
Denys Stetsenko / Juan Capriotti Prendido A Ti
Carlos Gardel (1890-1935) / Alfredo Le Pera (1900-1935) Volver
Juan Capriotti Llora Lisboa
Alfredo Duarte (1891-1982) / Amália Rodrigues (1920-1999) Alfama
Gerardo Matos Rodríguez (1897-1948) / Pascual Contursi (1888-1932) / Enrique Maroni (1887-1957) Si Supieras

Tangomanso é uma orquestra de tango argentino composta por bandoneón/voz, violino, contrabaixo, guitarra clássica, piano e cantantes. O projeto recria a cultura argentina num ambiente intimista e glamoroso com toda a intensidade e sedução característica deste género, com músicas originais e também temas clássicos. Sendo uma cultura estrangeira, o tango tem em muitos aspetos uma semelhança ao sentir português e, especificamente, ao fado. O quinteto faz essa ponte entre Lisboa e a Argentina. Nalguns momentos, as músicas são acompanhadas de um espetáculo de bailarinos argentinos de tango, reconhecidos internacionalmente.


FADO TRADICIONAL DO BAIRRO, FADOS DO PECADO | 20:15

Vitor Miranda
fadista
Catarina Rosa fadista
Sandro Costa guitarra portuguesa
Ivan Cardoso viola de fado
Ricardo Anastácio baixo

Fado Pedro Rodrigues
Fado Joaquim Campos
Fado Zé Grande
Fado Alberto
Fado Cravo
Ou tarde ou Cedo
Complicadíssima Teia
Na Tua Rua
Os Loucos


«Na verdade, a origem do fado está naquilo que nós chamamos pejorativamente o 'fado da desgraçadinha' ou o 'fado de faca e alguidar'. Esse é que é o fado primitivo, a origem do fado»
                                                        JOSÉ ALBERTO SARDINHA, IN A ORIGEM DO FADO


Neste concerto propõe-se assim voltar às origens do fado, cheio de histórias de tentações e pecados, indo ao encontro da mais profunda tradição fadista.  

 

28 abril 2018  | Palco Poente

CAPOEIRA E DANÇAS POPULARES BRASILEIRAS | 15:30

Elementos do Centro Cultural Arte Pura de Lisboa

A tradição da luta, dança e espiritualidade brasileira.


PARA ESCONJURAR OS PECADOS | 18:00

Pedro Teixeira
direção musical
Coro Ricercare

Fernando Lopes-Graça (1906-1994) Três Esconjuros

Tal como outros ciclos corais inspirados por tradições antiquíssimas cuja origem se perde no tempo, os Três Esconjuros, de 1956, espoletaram no estro criador de Lopes-Graça uma identificação artística com o que de mais profundo existe nas tradições portuguesas. Neste caso a música fala de superstições populares, e esconjura-se contra os maus encontros, os maridos transviados e as trovoadas.


DANÇA TRADICIONAL AFRICANA BATOTO YETU PORTUGAL | 20:00

A Associação Cultural e Juvenil Batoto Yetu Portugal trabalha com jovens e crianças interessados na cultura africana, provenientes de meios económicos mais ou menos desfavoráveis. A filosofia da associação baseia-se na convicção de que, independentemente das condições económicas e sociais de cada pessoa, o (re)conhecimento e valorização das suas raízes culturais é um fator essencial para a consolidação da sua auto estima e sentimento de pertença.  

 

Oficina de dança para 60 a 70 pessoas
Nesta dinâmica, os monitores da Batoto Yetu Portugal transmitem aos participantes (crianças, jovens e adultos) alguns conhecimentos base da dança tradicional africana. Maioritariamente no seu repertório são utilizadas danças originarias de Angola, Congo, Guiné, Cabo Verde, África do Sul, e danças afro brasileiras. Os participantes são convidados a explorarem os movimentos do seu corpo ao ritmo da percussão tradicional africana. Estas formações têm duração variável consoante os objetivos a atingir, sendo neste caso uma formação básica de sensibilização, partilha e relaxamento por intermédio da dança tradicional africana.

 ________________________________________________________________________


29 abril | Palco Nascente


MALDIÇÃO, PURIFICAÇÃO E TRANSCENDÊNCIA | 17:15

Vasco Pimentel piano / Niraj Singh tablas

Jugalbandish Improvisação
Vasco Pimentel Composição original
Vasco Pimentel Seventeen
Jugalbandish Improvisação
Jugalbandish Tema em Fá menor

Shiva é um dos deuses supremos do hinduísmo, conhecido também como «o destruidor e regenerador» da energia vital. Significa o «benéfico», aquele que faz o bem. De acordo com a doutrina hindu, o deus Shiva pertence à Trindade chamada de Trimûrti, formada por: Brahma, o deus da criação; Vishnu, o deus da preservação; e Shiva, como o deus da «destruição e regeneração». 
Neste concerto, o agrupamento Jugalbandish propõe-nos um concerto onde o Ocidente, representado pelo piano, se encontra com o Oriente, representado pelas tablas. Duas tradições musicais distintas que se fundem num concerto único que procura explorar através da música as duas facetas do deus Shiva, visto por uns com terror pelo seu poder destrutivo, e por outros com esperança, dado que este é simultaneamente o deus da regeneração.

 
29 abril | Palco Poente

ESPIRITUAIS NEGROS | 16:15

Tiago Marques
direção musical
Jazz Cantat

Wade in the water
Rise up shepherd
Sinner, you know
Steal away
I want to go to heaven
Oh! I know I have another buildin'
Ev'ry time I feel the Spirit
My Lord, what a morning
Old ark's a-movering
Sometimes I feel
Little David
Bye and bye
Plenty good room

Oriundos das comunidades de escravos nos Estados Unidos, os espirituais eram cantados como um meio de expressão dos sentimentos de sofrimento, dor e angústia duma vida de escravidão, mas também de esperança num futuro melhor e de alegria e júbilo pelas recompensas do além.

 
SAINT DOMINIC’S GOSPEL CHOIR | 18:15

A arte, a alegria e a religiosidade do Gospel.


Produção | CCB

 



28 e 29 abril 2018

No CCB
M/6
Enviar a um Amigo