Este evento já decorreu.

E9 - O Jardim das Delícias

Daniel Cunha e Paulo Oliveira

Daniel Cunha

Daniel Cunha

Paulo Oliveira

Daniel Cunha e Paulo Oliveira pianos

Johann Sebastian Bach (1685-1750)/György Kurtág (1926) Quatro Corais. Transcrição para quatro mãos/dois pianos:
Das alte Jahr vergangen ist BWV 614 / Herr Christ, der ein’ge Gottes-Sohn BWV 601 / Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit: Sonatina BWV 106 / Alle Menschen müssen sterben BWV 643
Charles-Valentin Alkan (1813-1888) / José Vianna da Motta (1868-1948) Benedictus op. 54 para dois pianos (original escrito para piano com pedaleira)
William Bolcom (1938) Garden of Edenrags para dois pianos
I. Old Adam (Two Step) / II. The Eternal Feminine (Slow Rag) / III. Serpent's Kiss (Rag Fantasy) / IV. Through Eden's Gate (Cakewalk)

As transcrições celestiais de corais de J.S. Bach para piano a quatro mãos/dois pianos feitas por György Kurtág foram elaboradas para uso do casal Kurtág (György e Marta) e são, muitas vezes, tocadas pelos próprios em concertos, alternando com a coleção de obras Játékok, da autoria do compositor húngaro.
A obra Benedictus, op. 54, de Alkan foi originalmente escrita para piano com pedaleira. Sendo raro de encontrar hoje em dia, este instrumento gozou de alguma popularidade no séc. XIX. Benedictus, composição monumental, revela uma luta espiritual intensa, sendo a música, por vezes, tenebrosa e quase demoníaca – em Ré menor – e noutras, celestial, em Ré maior. É uma obra que sugere a justaposição entre a dúvida e a fé, mas que tem um final glorioso, com um triunfante coral em Ré maior. Vianna da Motta foi um defensor e divulgador da música de Alkan durante uma época em que este era muito pouco popular. Numa tentativa de tornar as obras do compositor belga para piano com pedaleira mais acessíveis, transcreveu várias obras, para dois pianos, piano a quatro mãos e a solo, como é o caso deste Benedictus, op. 54 para dois pianos.
Em Garden of Eden, William Bolcom conta a história bíblica da Queda do Homem em ragtime, o que é surpreendente, não sendo este o género musical que se esperaria ouvir associado a esta história. O compositor usa várias formas desta dança para ilustrar esta história, com destaque para o complexo e virtuosístico Serpent's Kiss, cheio de contrastes e de efeitos surpreendentes, que recordam a tradição do ragtime, como as batidas com o pé e na madeira. - DANIEL CUNHA


                                                                                                           
Produção | CCB


29 abril 2018 | 16:00

Sala Almada Negreiros
M/6
Duração aprox. 1h
Enviar a um Amigo