Este evento já decorreu.

E4 - Cantatas de Bach

Avres Serva

Nuno Oliveira

Nuno Oliveira

Daniel Elgersma

Avres Serva
Daniel Elgersma contratenor
Nuno Oliveira direção musical, órgão (solo e baixo contínuo)

Maria João Sousa soprano 
António Lourenço Menezes contratenor 
João Pedro Afonso tenor 
André Henriques baixo


Kinga Ujszászi
primeiro violino (concertino) / Tomasz Aleksander Plusa, Ana Luísa Carvalho primeiros violinos / André David Castro, Ulrike Slowik segundos violinos / Stefano Marcocchi, Isabel Franenberg viola / Federico Toffano violoncelo (baixo contínuo em recitativos) / Pedro Massarrão violoncelo / Duncan Fox violone / Gilberto Caserio oboé, primeiro oboé d’amore / Andreia Carvalho oboé, segundo oboé d’amore / Aleksandra Mutwicka oboé da caccia / Kim Stockx fagote / Nicola Lamon órgão (baixo contínuo)
 
Johann Sebastian Bach (1685-1750)
Cantata Geist und Seele wird verwirret, BWV 35
     Primeira Parte
     I. Sinfonia / II. Ária (contralto): Geist und Seele wird verwirret / III. Recitativo (alto): Ich wundre mich / IV. Ária (contralto): Gott hat alles wohlgemacht
     Segunda Parte
     V. Sinfonia / VI. Recitativo (alto): Ach, starker Gott / VII. Ária (contralto): Ich wünsche nur bei Gott zu leben

Cantata Gott soll allein mein Herze haben, BWV 169
     I. Sinfonia / II. Arioso e Recitativo (contralto): Gott soll allein mein Herze haben / III. Ária (contralto): Gott soll allein mein Herze haben / IV. Recitativo (contralto): Was ist die Liebe Gottes? / V. Ária (contralto): Stirb in mir / VI. Recitativo (contralto): Doch meint es auch dabei / VII. Coral: Du süße Liebe, schenk uns deine Gunst

São raras as cantatas de Bach para voz solista, quase todas para alto. Estas terão sido escritas em 1726, para um cantor de características peculiares. Incorporam andamentos de concertos instrumentais, mais tarde reescritos para órgão, quiçá por falta de um instrumento solista como o oboé, ou por força da inauguração do órgão Silbermann recentemente instalado na SophienKirche em Dresden.
A Cantata 35 fala-nos da cura de um homem surdo e na alegria que se segue. Bach cria novos desafios de composição, por oposição a conceitos musicais conservadores, usados nos ciclos de cantatas anteriores compostos em Leipzig. A Cantata 169 aborda o tema do amor a Deus e ao próximo, onde ainda se pergunta: «O que é o amor de Deus? É o resto do espírito, o delicioso prazer da mente, o paraíso da alma. Ele fecha-nos o inferno, e abre-nos o céu.»
O órgão apresenta-se como solista, sendo que o baixo contínuo é executado por outro instrumento de tecla. É provável que Bach possa ter desempenhado ambas as funções com um instrumento de três teclados e pedaleira que não sobreviveu até aos dias de hoje, pelo que optámos por um segundo órgão, sendo várias as opções de registação para ambos. O Affekt resulta ainda do temperamento e afinação usados, criando-se a música apropriada ao movimento e significado das palavras. Assim, para sintonia entre a afinação da orquestra (Kammerton) e a do órgão solista (Chorton), este tocará uma versão transposta das duas obras num temperamento descrito pelo próprio Bach. - NUNO OLIVEIRA


                                                                                                     
Produção | CCB


29 abril 2018 | 15:00

M/6
Duração aprox. 1h
Enviar a um Amigo