Domingo | 29 abril 2018


PAINEL DA DIREITA: AS GRAÇAS DIVINAS E A RECONQUISTA DO PARAÍSO

No último painel deste Tríptico de inspiração boschiana completa-se um ciclo que começou com a expulsão do Paraíso. Cumpridos os castigos e ultrapassadas as tentações terrenas, esta aventura da humanidade leva-nos de volta a esse mesmo Paraíso ou ao Céu. É o percurso da Sinfonia Dante de Franz Liszt que começa no Inferno e termina com um glorioso Magnificat no Céu. Um caminho que se faz com a libertação desses pecados através da Paixão de Cristo, que nos regata do Caos e aponta o caminho da felicidade eterna, como nos demonstrará Ton Koopman, mas para o qual é necessária toda a firmeza de espírito que nos pedem as cantatas BWV 35 e 169 de Bach. É o reencontrar da paz de espírito através da oração libertadora como acontece no Requiem de Fauré com o seu In Paradisum. É a história de Peri, personagem da mitologia persa que reconquista o Paraíso oferecendo ao Céu a lágrima de um pecador arrependido, tal como nos conta Robert Schumann baseado em Thomas Moore.